quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Segundo a numerologia, eu sou um número 6.

Depois de ler esse texto, eu percebi que sou exatamente assim.


Seu desafio é desenvolver seu forte sentido de responsabilidade em relação aos outros. Você procura resolver os problemas de todas as pessoas, sejam elas amigos, da família, os que moram perto de você, os seus colegas de trabalho. Você está sempre disposto a ajudar, a aconselhar, com seu profundo senso de justiça, buscando a harmonia geral. Você é simpático, amável e generoso e está constantemente disponível para os outros.
Quando criança sempre queria agradar, com presentes, com afagos, queria se sentir responsável em fazer certas tarefas, queria ser elogiado e sentia-se extremamente magoado se era repreendido. Aos poucos vai aprendendo a lidar com esses sentimentos que envolvem o dar e o receber. Você tem habilidades artísticas, gosta da harmonia da música, da pintura, da arquitetura. Valoriza a vida doméstica, se dedica ao lar, à família, criando um ambiente caloroso e receptivo.
Você é muito profundo em seus sentimentos e se você não se reprimir, mostrará esta sensibilidade àqueles que ama. Ao não conseguir expressá-la pode fechar-se sendo muito difícil para qualquer pessoa romper esta barreira. Você é romântico e tem necessidade de estar sempre amando. Nos aspectos negativos, evite a tendência de tornar-se oprimido por excesso de responsabilidades e ser um escravo dos outros. Cuide também para não ser demasiado crítico, tanto de si mesmo, como dos outros, achando que tudo está errado, e somente você está certo e somente você pode resolver o problema.

PS: Numerologia feita no site da Aparecida Liberato.


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Não darei mais um passo e não direi mais uma palavra, simplesmente tentarei não me importar, ao menos tentarei não demonstrar.
Da solitude para a solidão...

Tenho sentido falta da solitude, das noites de filme, brigadeiro, aconchego da cama, momentos só meu de prazer, momentos sem expectativas, até que chega a solidão. Me pergunto, pq isso acontece justo na hora em que eu estava me sentindo tão bem comigo mesma. De certo, pq estou com esperanças, por estar vivendo momentos inexplicáveis, como o sentir do abraço, do colo, do carinho... Momentos bons que tenho vivido em meio a essa solidão... solidão, que me traz o vazio de tanto querer o que há tempos eu não tenho e que de uma certa forma estou tendo agora... mas o que tenho é vago, é inserto, porém muito bom.
E pensando na solidão, causada por mim mesma, ainda me pergunto o que estou fazendo comigo. Será que devo deixar a solidão ficar e esperar pra ver no que vai dar, ou devo criar forças e voltar pra solitude?

O jeito é deixar fluir, deixar o vento soprar e tentar acalmar o coração...
Doce solitude, triste solidão...

domingo, 16 de dezembro de 2012

E o natal vem chegando...
Época em que eu fico triste, sinto a solidão me rondando mais uma vez. Enquanto em outros lugares as famílias festejam, mesmo muitas vezes de um jeito torto, é um momento que todos se encontram. Alguns lembram do verdadeiro sentido, outros apenas do momento de folga, festas e presentes... Mas seja de qual modo for, estão todos lembrando desta data.
Por aqui nada muda, na verdade muda sim, por ser feriado, rola uma preguiça em fazer comida rsrs... os amigos estão com as famílias, namoradas e eu aqui... provavelmente como em outros anos, assistindo algum filme sozinha... Presente? ah, não sei o que é isso não...
Tudo que espero do natal é que ele acabe logo! Quem sabe um dia seja diferente, mas por enquanto tem sido assim... E que venha mais um momento de reflexão em minha vida...

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

"Às vezes tenho medo do cansaço tomar conta da minha sabedoria, porque sem ela, ficará difícil ser paciente."
Me sinto tão cansada, fisicamente cansada, psicologicamente cansada, emocionalmente cansada, sentimentalmente cansada, profissionalmente cansada, cansada de tudo e de todos. Cansada de me sentir e estar só...

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Diariamente eu venho tirando forças de não sei mais onde, talvez de algum lugar que eu jamais poderia imaginar que ainda teria forças... Mas depois de um tempo o mundo cai outra vez e eu volto pro fundo do poço, onde me encontro sozinha, na verdade sempre estive sozinha... Mesmo com outras pessoas em minha volta eu sempre estou sozinha, só acho engraçado os golpes da vida. Quando aparentemente estou bem, as pessoas em minha volta acabam se aproveitando de mim, mas pq eu sou boba e deixo...Faço tudo pra uma pessoa ficar feliz, mas no fundo, quem ta precisando ser feliz, sou eu. E quem se importa? Mais uma vez, ninguém se importa... sei que tenho amigos queridos que se importam, mas acho q as pessoas que eu gostaria q se importassem, só se lembram mesmo qdo precisam, e é dessas que eu queria ver reciprocidade, a vida não é só doar, é receber tbm...Venho aqui mais uma vez, vomitar meus sentimentos, pois ficar chorando não dá mais...Eu sempre digo q ta na hora de começar a me preocupar mais comigo, mas é sempre isso que eu faço, na verdade eu acho que eu queria que alguém se preocupasse tbm, mas é muito vago dizer isso...Queria amar alguém, queria ser amada, mas não mando no meu coração...Queria não ter essa droga de doença no intestino, que vira e mexe eu to passando mal, mas fico quieta pra não ficar pior, muitos acabam nem sabem o que eu passo, as vezes nem meus pais sabem, pq essa doença mexe demais comigo e as vezes eu tenho muita dor e é insuportável ter q ficar quieta e esperar passar e além disso ainda tenho q tirar forças pra mostrar q eu estou bem qdo não estou, q posso ser amiga, q posso ser conselheira, q posso ser, alguém q no momento só ta querendo um colo, alguém q diga q vai dar tudo certo...Queria uma vida mais estável, mas cada vez fica mais difícil. E foda-se tudo mais uma vez... depois vou ler isso ver o quanto sou idiota...